sábado, 4 de novembro de 2017

O Que Eu Trago


Lilith - SineAlas


O Que Eu Trago
Não Tem Cheiro
De Vida,
Não Tem Aparência
De Bom,
Não Tem Semelhança
Com Luz
E Nem É
Algo Para Se
Desejar.

O Que Eu Trago
Não Tem
Amor,
Não Tem
Calor,
Não Tem
Perguntas,
Não Tem
Respostas
E Nem Tem
Sentidos.

O Que Eu Trago
Não Está
Disponível,
Não Está
Perto,
Não Está
Longe,
Não Está
Se Movendo
E Nem Está
Parado.

O Que Eu Trago
Não Vacila
Diante Do
Kaos,
Não Estremece
Diante Dos
Mentirosos,
Não Quebra
Diante Dos
Virtuosos,
Não Cai
Diante Dos
Sentinelas
E Nem Foge
Diante Dos
Arqueiros.

O Que Eu Trago
Está No Teu
Sonho,
Mulher.

O Que Eu Trago
Está No Teu
Sonho,
Homem.

O Que Eu Trago
Está Em Todos
Os Sonhos
Da Criação,
Malditos
Humanos.

O Que Eu Trago
É Bebido
Pelos Que
Se Apunhalam
Diante De Mim.

O Que Eu Trago
É Mastigado
Pelos Que
Se Masturbam
Diante De Mim.

O Que Eu Trago
É Conhecido
Pelos Que
Fodem
Diante De Mim.

O Que Eu Trago
É Tudo
Para Os Que
Se Libertam
Em Mim.

Mas,
Essa Liberdade
Tem O Mais
Caro Dos Preços
Que Trago Junto
Com Todos Que
Se Juntam
À Minha Marcha:
O Peso
Do Que Eu Trago
Desde A Primeira
Já Esquecida
De Todas As
Eras.

Suportarias
Tal Peso,
Mulher?

Suportarias
Tal Peso,
Homem?

Suportarias
Tudo Que Eu
Trago,
Seres
Retalhados?

Inominável Ser
LILITH
REVELADA




Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: