terça-feira, 27 de março de 2018

Me Chame De Puta - Amy Book



Me passa o canudo, ajeita essas carreiras. 
Quero ficar legal e trepar a madrugada inteira. 
Aspiro e sugo sem parar,  
quantas tiver, não paro de cheirar.  
O estado de euforia me liberta, coração acelera, tô na maior nóia, essa brisa me conforta.
Em seguida bate uma tristeza, quero mais; essa fissura que me parece como uma fortaleza.
Aqui não vai ter; preciso achar um otário  pra me fornecer. 
O mini vestido vinho colado em minha pele,
puxo a meia arrastão até encima, 
e não deixo  de me  equilibrar em meu salto quinze. 
Pronta para o perigo e devassidão,  hoje eu quero é  muita perversão. 
Me chamam de nóia, meretriz ou vagabunda. 
Fico de cara , pois boa mesmo é  minha bunda.
Me chama de Puta, gosto de droga, bebida e rola. O resto que se foda.
Ando de bar em bar, bebo, fumo e cheiro. Em troca pago com sexos de todas formas e maneiras, satisfazendo cada exagero. 
Chupando e devorando os pintos, chegando ate as bolas, 
fodas descabidas  em banheiro, sujo e violento, de formas mais violadas. 
Sendo oque me agrada é a orgia; adoro ser explorada, saboreada em todo os sentidos que surgia.
Meu corpo não me pertencer, deixo eles na recreação, 
somente sou o brinquedo de muita diversão.
Regado a droga e bebida, me chupam e mordem por todas as partes, outros fodem em todos meus buracos; dupla penetração é  o arregaço, tanta  perversão que me desfaço.
Loucuras, volúpia e gozos,e o que sacia todos desejos pecaminosos.
Mulher, Puta e devassa; 
entregue a podridão, de tanto cultuar a madrugada, 
vive essa louca concepção. 


Amy Book
Direitos autorais reservados®
(Imagem do Google)




Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: