Nas Trevas, Toda Desgraça É Fortaleza Magna

Where Is The Crossing - Kim Myatt

É muito obscura esta estrada
Que eu percorro sem as mãos
Estarem atadas a prisões
E com meus pés cheios
De feridas abertas lambidas
Por leprosos cães moribundos.
Eu mesmo sou Lázaro,
Cheio de chagas até a alma,
Nascido pobre entre
Os pobres,
Tendo crescido nas ruínas
De um mundo distorcido,
Envelhecendo hoje nesta
Disforme carcaça
A deteriorar-se.
Se Deuses me vêem agora,
Se Santos desta vez me ouvem,
Se Demônios me inspiram hoje
Ou se algum Amigo
Ou Inimigo Invisível
Me observa aqui nas Trevas,
Apenas me calo diante
Da poética música
Da minha própria desgraça.
Dejanira deixou seu Véu
Em minhas mãos,
Pandora vomitou as próprios
Amaldiçoadas entranhas
Aos meus pés,
Medusa transformou em pedra
Cada sonho e pesadelo meu,
Prometeu me deu a águia
Que devorava-lhe o fígado
E agora a mesma investe
Contra minha alma.
Tenho a fome de todo sentido
E o Cavaleiro Fome cavalga
Entre meus Caminhos,
Derramando o Cálice
Da minha desgraça
Nos lábios da
Deusa Desgraça.
Esta me ajuda aqui
Nas Trevas,
Negando que sou algo
Além de um desgraçado.
Ela me corta com espadas
E transa comigo debaixo
De árvores devastadas
Por roedores monstruosos.
Ela me decapita frequentemente
E expõe meu crânio
Diante do Espelho
Da Obscuridade Cósmica.
Ela traz os cadáveres
De todos os que,
Como eu,
Estão presos na
Senda Das Trevas.
Eu,
Inominável Cadáver Desgraçado,
Vejo meu próprio corpo
Despedaçado pelos dentes
Dela.
Mesmo assim,
Eu me sinto seguro aqui,
Aqui onde tenho muito
A dizer a todo aquele ou aquela
Que em arrogância tremenda
Diz ter algo da
Divina Graça
Em sua Essência.
Todos nós somos essencialmente
Desgraçados,
Sua desgraçada leitora
Minha,
Seu desgraçado leitor
Meu.
Eu estou bem nas Trevas,
Muito bem seguro neste
Império Existencial
Onde permito a mim mesmo
Visualizar o Campo todo
Da Desgraça Contemporânea
Que nos tortura.
Onde você se sente segura,
Desgraçada leitora?
Onde você se sente seguro,
Desgraçado leitor?
Na Luz é impossível,
O Planeta Terra
É o próprio
Império Das Trevas,
Densas Doces Trevas
Nas Quais Vivemos,
Nas Quais Morremos
E Nas Quais Renascemos
Sempre Desgraçados.

Inominável Ser
UM FORTE SER
DESGRAÇADO
NESTE QUE É
O IMPÉRIO
DA DEUSA
DESGRAÇA




0 Comentários: